Águas de Valões e seu aconchego

No início de Março, viajamos com uma equipe reduzida para o interior do estado de Santa Catarina, a fim de pesquisar para dois projetos cinematográficos de longa-metragem, uma ficção e um documentário. Nessa viagem estavam as sócias Cíntia e Maria Augusta, e os nossos parceiros Marx Vamerlatti e Luís Knihs (que fez sua estreia na Novelo). 

A primeira parada foi na cidade de Irineópolis, às margens do Rio Iguaçu, na divisa com Paraná. Estivemos por ali para visitar o Casarão Domit, futuro cenário de filme nosso e sobre o qual faremos um post especial aqui no blog. Uma das curiosidades sobre a pequena cidade é que boa parte dos seus 10 mil habitantes prefere chamá-la de Valões, como quando ainda pertencia ao município de Porto União e era tratada como uma "localidade" e não um município. Por isso não é de se estranhar o nome do local onde ficamos hospedados, a Pousada Águas de Valões. 

E esse post é para falar desse lugar aconchegante onde, por todos os cantinhos, é possível ver o carinho e a dedicação da dona da pousada e querida anfitriã, Lea Luiza, que nos recebeu com pacotinhos de biscoitos caseiros. Ali ficamos por apenas dois dias, o suficiente para recomendarmos a pousada para qualquer pessoa que busca tranquilidade e refúgio no interior do estado, no planalto do Contestado.

Foto que o Roberto Domit tirou da equipe com a Dona Lea, no salão da pousada. Da esq pra dir: Marx, Maria, Lea, Cíntia e Luís. 

Foto que o Roberto Domit tirou da equipe com a Dona Lea, no salão da pousada. Da esq pra dir: Marx, Maria, Lea, Cíntia e Luís. 

É um lugar pequeno e bastante exclusivo, visto que conta apenas com quatro bangalôs lindamente decorados e cheios de conforto. Aliás, a decoração toda é um assunto à parte, planejada aos cuidados do bom gosto da Dona Lea. A noite é um show à parte, com o brilho do céu estrelado e dos vagalumes. Cabe lembrar que, além de descansar, é possível usufruir da água mineral que brota da fonte, dali mesmo, descoberta na década de 30. 

Enfim, fica o nosso agradecimento à Lea por ter nos recebido tão bem - incluímos aqui uma menção especial ao saboroso café-da-manhã, com pães integrais, tortas e geléias caseiras, pêras em calda... humm -, nos fazendo querer voltar e recomendar a todos. E ao Roberto Domit, responsável pelo Casarão Domit, por nos ter apresentado a pousada e nos convidado para essa estada. 

Seguem algumas fotos que a Cíntia fez do local, com iPhone, incluindo de dentro do chalé que a equipe ficou e montou um escritório improvisado - por isso a bagunça. Mas vocês também podem saber mais sobre a pousada pela fanpage